Total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Notícias imortais



“A violência foi tanta que pedaços do cérebro da vítima ficaram pelo chão”.

O texto acima descreve o “horror” de um jornalista de Imperatriz ao detalhar um dos crimes registrados em maio na segunda maior cidade do Maranhão.

Assassinos e vítimas mal podem esperar pelo que o ele escreverá em junho.

Passaram da conta



Há certas contas que o próprio diabo não dá conta.

O Maranhão tem sete mil policiais militares em atividade.

Caso mil trabalhem na segunda-feira, onde estarão os outros seis mil na terça-feira?

Na clandestinidade?

Negócio encalhado



Decepcionados com resposta pífia do mercado aos mil encantos da sua área nobre, e com pesquisa de prospecção de negócios que se revelou um fiasco, sócios de um shopping em construção em São Luís refizeram toda a estratégia de vendas das lojas.

Ao invés de marcas consagradas, o empreendimento vai apostar em nomes consolidados no gosto popular.

O ludovicense está mais para Americanas que para Dolce & Gabbana, descobriram os investidores.

A mudança de tática não produziu bons resultados até agora.

Mesmo com pátio de facilidades, cerca de dois terços das lojas esperam interessados.

A primeira barata



A descoberta de uma barata na comida de restaurante é prova inequívoca: São Luís sai na dianteira da ONU quanto à ingestão regular de insetos para matança da fome mundial.

O nosso ortóptero spoletensis, nesse caso, veio a conhecimento público por obra e graça de criança de nove anos.

Com tantos come-em-pé e lixeiros por aqui, nem ouso imaginar o que mais a miopia de adultos e da vigilância sanitária deixa passar.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Desafios com energia

Pelo considerável volume de contratos de prefeituras com postos de combustíveis, ou a economia maranhense engata, enfim, uma terceira, ou despenca de ré na próxima ribanceira.

Os pescadores, os pecadores

A dica de pesca é de quem conhece marés e igarapés da Câmara de São Luís.

Caso insistam com a tal CPI do Bom Peixe, os vereadores vão perder olfato e paladar, o melhor da pescaria, e como transformam sardinha em lata em pizza enlatada.

Só por curiosidade. 

A comissão parlamentar é para investigar desmandos da gestão castelista ou perder a pista do inquilino holandês?

O preço da proibição



“A partir desta quinta-feira fica proibido o acesso às praias da capital”, estampam os jornais. 

 Certas notícias levam qualquer um a crer em conspiração internacional contra São Luís. 

Ocas em lucidez e dados, a nota impõe veto definitivo a uma das raras opções de lazer na ilha. 

O que está proibido, ou deveria, é o tráfego de veículos na faixa de areia – aporte inédito e decisivo do ludovicense ao incremento da indústria do turismo no país. 

Os moradores praianos ficam livres da medida. 

Azar nosso, os preços em bares e restaurantes, também.

A marcha dos sem-rumo

Pelo volume de carros que deixou São Luís, esta semana, rumo a feriadão de Corpus Christi no interior, deu para perceber:

Aos motoristas parece tarefa mais fácil enfrentar, no corpo a corpo, os gargalos do Estreito dos Mosquitos, que se metamorfosear de mosquito para ludibriar o trânsito da Avenida dos Holandeses ou as tropas holandesas e seu arsenal inesgotável de multas.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

A herança do prisioneiro



Além de tentar levantar com o pé direito e, se possível, contornar malfeitos e defeitos, o quê faz um prefeito eleito de cidade que juram não ter mais jeito?

Ora, vê se dá um tempo!



Estão em atraso as notícias sobre a falta de balneabilidade nas praias de São Luís ou sobre a escassez de turistas na cidade?

Visto que o primeiro assunto é sempre muito sujo, tentemos o outro.

Não fosse o labor itinerante de nossas autoridades, a pasta governamental já teria aderido ao Tour do Dino há meses, dizem.

No Maranhão é assim. 

De tempos em tempos, damos um tempo a tudo que nos exija muito tempo. 

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Baú de raridades

Hyakumanto Darani (documento japonês publicado no ano 764 e considerado o primeiro texto impresso da história), um relato dos astecas com a primeira menção do Menino Jesus no Novo Mundo, trabalhos de cientistas árabes sobre álgebra, a Bíblia de Gutenberg, antigas fotos latino-americanas da Biblioteca Nacional do Brasil, a Bíblia do Diabo (século XIII).

Estas e outras obras raras do conhecimento estão disponíveis para consulta gratuita na Biblioteca Digital Mundial (BDM), com opção de leitura em sete línguas – inclusive a portuguesa.

A biblioteca – que recebe o apoio da ONU – traz ainda mapas e ilustrações antigos, e é boa fonte para pesquisadores, estudantes e curiosos.

O endereço da BDM está gravado na seção “Fique de Olho”, à direita da página.

domingo, 26 de maio de 2013

A vassourada

Pelo menos metade de São Luís deve sair às ruas de vassoura em punho, nesta segunda-feira, na tal operação “Limpeza Rua a Rua”.

A prefeitura não informou, entretanto, quantas estão aptas a varrer ou voar.

E quanto às ruas, quantas mais esperam varrer do mapa?

Bolsa Esmola

O golpe corre no Estado mais que notícia ruim, afirmam.

Espertinhos sem um filho perfilham a prole alheia para ter direito ao tal Bolsa Escola.

A tramoia sai do forno com as bênçãos dos pais biológicos, e é multiplicada por bônus mensal.

Há quem tenha recorrido à justiça para ter a filharada de volta; há quem tenha encomendado outra.  

Mulheres à venda

Estudo dos investigadores Cláudia Pedra e Miguel Santos Neves – apresentado esta semana em Lisboa – mostra Portugal entre principais rotas internacionais do tráfico de seres humanos.

As vítimas são oriundas de 17 países, sendo que 70% vêm do Brasil, Nigéria e Gana.

Em dois anos, os investigadores identificaram 115 vítimas de tráfico, das quais apenas 17 estavam referenciadas pelas autoridades. Entre 250 e 270 traficados tiveram Portugal como destino, origem ou ponto de passagem.

De acordo com o estudo, 67% das vítimas enriquecem a exploração sexual.

As mulheres que aceitam abandonar o país de origem com a falta promessa de emprego no exterior são vendidas em Portugal por 35 mil euros – pouco mais de R$ 80 mil.

sábado, 25 de maio de 2013

Quase Paris

Há tantos buracos em São Luís que contratar empresas por R$ 4,5 milhões para pavimentação faz de contas tem efeito igual a tentar remendar os canos do sistema Italuís com grude.

O pior é o que não cola ou o que a um sopro descola?

Exceto por um triz, São Luís é quase Paris.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Cuidado com a dança!

A prefeitura deve conter excessos e corrigir a tempo más interpretações da sua “Limpeza Rua a Rua”.

A operação terá com foco a retirada do lixo urbano de São Luís e, não, a sangria do bolso dos contribuintes.

Já imaginaram as quadrilhas pré-juninas de Pedrinhas a aproveitar o movimento para primeira apresentação?

Fartos do lixo farto

Capital recebe operação de limpeza pública na segunda-feira, promete a prefeitura.

Até terça, não ponha a cara suja fora de casa.

Sabe-se lá o que entendem por lixo ou capricho, por aterro sanitário ou desespero solidário, concorda?

O lixo recolhido terá como destino qual ribeira?

A fronteira São Luís – Rosário? 

Ora aos que oram

Seriam edipicantes as tais conversas sexuais do pastor Marco Feliciano com fiéis da sua igreja, e interceptadas pela polícia.

As edirficantes, propriedade particular do colega Macedo.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Bota lonjura nisso

Lembram dos policiais de Pernambuco que supostamente teriam assassinato um empresário em Bacabal, em abril?

Devido ao tamanho do Maranhão, os dois ainda não chegaram a São Luís.

Longe assim, nem o infinito.

Viva la revolución!

Prefeitos e eleitores ainda não se deram conta, mas com a leva de médicos cubanos que virá ao Brasil pode vir a resposta convincente para a renovação política que o Maranhão carece há décadas.

Sabe como é!

Já estavam manjadíssimos e improdutivos os arranjos “meu motorista”, “meu capataz”, “meu tesoureiro particular”.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Quero outro

Quem tiver o carro roubado ou quiser devolver espontaneamente o bem não precisará mais pagar as prestações do veículo, caso possua contrato de financiamento na forma de leasing.

A decisão é da juíza de Direito Márcia Cunha Silva Araújo de Carvalho, da 2ª Vara Empresarial do Rio.

Essa história ainda vai dar muito pano pra manga, mas, segundo a autora, a sentença produz efeitos imediatos em todo o país.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Diversão garantida

A melhor diversão ao turista que chega a São Luís – garantem – é contar quantos buracos há em ruas e avenidas, ou tentar adivinhar quantos esgotos em ebulição se escondem sob galhos de árvores e lixo acumulado.

A paz em cartaz

São Luís vai receber em junho Seminário pela Paz e Não-Violência.

E irão discutir o quê?

O diário da violência ou o atavismo sectário?

Livros que matam

Os cem mil livros vendidos no Salão do Livro de Imperatriz (Salimp) deste ano transformam a segunda cidade do Estado em seu maior polo cultural. 

A cada salão literário aberto por lá, São Luís responde com salão funerário.

Livros por tiros?

Enquanto cem mil leem para viver, seis milhões sequer sabem porque vivem.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Empombados

Em São Paulo, há três anos empresas não adotam monumentos.

Em São Luís, há quatro séculos.  

Os que não roubaram ou danificaram, ao coco de pombos atiraram.

Escola de bolseiros

Mais e mais famílias rumam para o extermínio moral a cada dia, e logo um boato sobre o término do Bolsa Família provoca correria e vandalismo em agências da CEF no Maranhão.

Povo que vive da caridade governamental – dela se acostuma, e por ela implora – não merece bolsa ou piedade.

Merece extrema-unção.

É o valor da esmola que determina a fundura da sacola?

domingo, 19 de maio de 2013

Ocaso ou ocasião?

Certas notícias, aqui e ali, nos põem a refletir. 

É melhor fraudar a Previdência ou ousar na imprevidência? 

Fico com o Marquês de Maricá. 

“É tal a nossa imprevidência ou ignorância, que tomamos por um grave mal o que frequentes vezes é origem e ocasião dos maiores bens”.  

A ocasião faz o ladrão, ou não?

Sovinas

Não fale citar aquele relógio cômico em contagem regressiva, mas qual presente de valor e útil São Luís recebeu pelos 400 anos?

Os quereres do coração

Em 1961, o astrofísico americano Frank Drake lançou fórmula revolucionaria: a “Equação de Drake”.

A tal fórmula – um embuste e algo sem nenhuma utilidade prática – tencionava descobrir, por probabilidade, mundos que poderiam abrigar vida inteligente fora da Terra.

Pelo menos oficialmente, jamais descobrimos outro planeta habitado, ou mantivemos contato com seres extraterrenos.

A equação, contudo, ressuscitou nos dias atuais.

Um grupo de cientistas diz que o trambolho pode ser aplicado para calcular as chances de alguém encontrar o amor. 

Segundo os novos drakenianos, um nova-iorquino de 25 anos tem 825 parceiros em potencial, apenas nos Estados Unidos. Caso use a fórmula, vai encontrá-los, não dizem onde. 

Por mais insistam em relacionar mistérios no amor, não há mistério algum na química da vida.

O homem tem atração irresistível por complicar a tudo o que não entende, o deixa fragilizado ou a ele parece fácil demais. 

“Cuide bem do seu amor, seja quem for”.

Viu? Os Paralamas do Sucesso decifraram um dos quereres do coração, e nem precisaram sair desse mundo.

O futebol a nu



Moto Clube apresentará novo uniforme dia 7 de junho.

Os torcedores esperam que até lá a nudez de títulos não alcance os jogadores, ou a eles.  

A Federação Maranhense de Futebol, por exemplo, ficou pelada depois que ladrões fizeram visita de cortesia a sua sede esta semana. 

Os assaltantes chegaram em motos e levaram R$ 80 mil da tesouraria.

Também precisavam de roupas novas? 

O campeonato estadual, diz a crônica esportiva, registra a pior média de público em anos.

Dieta pobre

Pode ser ou não boa notícia para a prefeitura o anúncio de que o governo vai abrir quatro restaurantes populares em São Luís. 

Vai depender, é claro, se o La Ravardière estiver disposto a trocar pizza por arroz e feijão – teoricamente, mais baratos e nutritivos –, e abandonar o hábito do “pendura”

Débito de R$ 600 mil com uma pizzaria saiu do forno, esta semana, direto para o Portal da Transparência municipal. 

Pobre dieta a dos gestores! 

Quanto mais comem, pior se alimentam.

sábado, 18 de maio de 2013

Grandes caçadas



Depois do sumiço de binóculos e, agora, de pistola, o 24° Batalhão de Caçadores em São Luís vai ficando mais e mais conhecido.  

Mais pelo caçam ali – e encontram fácil – do que pelo que o batalhão se predispunha a caçar.

Um dia da caça, outro também.

Viva a muriçoca!



Caso a recomendação da ONU seja interpretada ao pé da letra – e o mundo passe, de fato, a matar a fome com insetos –, São Luís está próxima do reconhecimento internacional.

Já imaginaram nossas muriçocas, moscas e barbeiros a nutrir as periferias famintas do Sá Viana, Coroadinho e Anjo da Guarda?

Como aqui todo pouco é excesso, não é de duvidar que o Estado inclua esses alimentos na pauta de exportações do Porto do Itaqui.

De agora em diante, ao vir um carapanã por aí, proteja-o dos predadores. 

A Cidade Olímpica pode desaparecer por sua omissão ou insensibilidade.

O adeus das meninas


O Distrito da Luz Vermelha de Amsterdã (Holanda) perdeu duas de suas mais ilustres "meninas". As gêmeas Louise e Martine Fokkens, de 70 anos, as mais antigas prostitutas da cidade, anunciaram a aposentadoria. 

Juntando as duas, são mais de cem anos de experiência na alcova. Nesse período, elas fizeram sexo com cerca de 355 mil homens! 

Louise, que tem quatro filhos, sofre de artrite. Segundo ela, a doença torna algumas posições sexuais impraticáveis. 

Já Martine admite que tem sido muito difícil atrair clientes nos últimos anos. A exceção, segundo a holandesa que tem três filhos, é um senhor que gosta de sessões semanais de sadomasoquismo.  

"Não pude desistir dele. Era como se ele viesse para uma missa de domingo", contou a recém-aposentada, em reportagem do "Sun". 

As gêmeas também afirmaram sentir falta dos anos dourados da prostituição em Amsterdã, antes da chegada da máfia. 

Fonte: O Globo Blogs

União quase perfeita



Reúnem maluquices e esquisitices os truques de venda de imóveis novos em São Luís.

De eletrodomésticos a carros na garagem, de viagens ao exterior a contas pagas, de um tudo é ofertado “gratuitamente” ao futuro inquilino.

A estratégia parece clara: levar o outrora infeliz a pular fora do inferno diário aqui embaixo e alcançar, a preço módico, metade do paraíso terreno. 

Quem quiser a outra metade – noivo ou noiva – deve esperar os próximos lançamentos imobiliários ou correr ao cartório mais próximo.

A felicidade existe. Depende do tamanho do seu bolso e do que possa mobilizar.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Cadê a minha rua?



Viu o anúncio sobre a chegada da BMW?

“As ruas de São Luís não serão mais as mesmas”.

Bem, se o carro mundialmente famoso tem o poder de mudar o visual da buraqueira aí fora, melhor checar a frota e rota antes do primeiro giro aqui dentro.

Antes de mudar de cidade, mude de carro ou o trajeto por onde passa.

Arrepare não



A Câmara de Vereadores de Rosário decidiu proibir o acolhimento do lixo de São Luís naquela cidade. 

Depois da experiência traumática da vizinha Bacabeira, vetam por lá de santo refinado a fuxico mal proseado. 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Obreiros da liberdade



Enquanto aqui fora batem cabeça entre culpas e desculpas, os detentos de Pedrinhas dão seguidos espetáculos de competência. 

Ninguém melhor que eles na arte de escavar túneis sem topar com policiais, esgotos da Caema e a BR-135. 

Três túneis descobertos hoje; nem imaginam quantos mais a caminho. 

Tivesse ferramentas adequadas, a nossa engenharia penitenciária provocaria rombo feio e longo na imagem do estado. 

Presas da pressa



Parou ou não por falta de recursos federais, a via que tornaria São Luís mais esplêndida que a Via Láctea corre o risco de ficar na obscura companhia do tal VLT.

O ludovicense deveria estar acostumado.

Fora da vitrine, o que aqui não dá passo em falso, cai em compasso de espera.

Que cousa!



A quem interessar o motivo a deixar São Luís de fora da rodada de negócios do petróleo:

Há décadas esburacam impiedosamente a capital, e o máximo que conseguem enxergar é a coisa preta.

Volta triunfal



O petróleo exerce poder mágico na economia mundial, e não é diferente por aqui.

Prefeitos entusiasmadíssimos com a venda de blocos de exploração neste Estado espalham rápido pela Rádio Pequi:

“Ouro negro”, “nota preta” e “a cor do dinheiro” são parentes queridos da família que voltam pra casa. 

A deles.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Para olhudos e dengosos



Os “fumacês” retornaram a São Luís.

Mais modernos e melhor equipados, podem até não afastar o mosquito da dengue, mas é arma poderosa contra o mau-olhado, garantem.

Para o tal aedes aegypti, mande aviar cópia de retrato autografado da rainha Nefertiti.

Defensores



O Maranhão ocupa 14º lugar no país na oferta de defensores públicos.

Os 112 profissionais em atuação no estado deveriam atender, cada um, a 58.703 maranhenses.

O número é irrisório, contudo há casos bem piores: Amapá, Goiás e Paraná não concluíram, até agora, os primeiros concursos para provimento de cargos nessa área.

Segundo levantamento do Migalhas, o Brasil conta com 5.166 defensores públicos para mais de 190 milhões de habitantes.

O Rio de Janeiro possui 789 defensores na ativa (o maior efetivo entre os estados), contra 610 de São Paulo. 

A função da defensoria pública, a quem não sabe, é prestar assistência jurídica integral e gratuita ao cidadão que comprovar insuficiência de recursos.

Clientela diversificada



São Luís anunciará em breve mais um shopping.

A obra, já iniciada, tem como vizinhos São José de Ribamar, o Maiobão e o cemitério Jardim da Paz.  

Nem tão vivos e nem tão mortos irão garantir a viabilidade do empreendimento, parece óbvio.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

A economia mia ou chia?


As seguidas apreensões de queijo não-fiscalizado produzem inquietação preocupante na economia maranhense: 

Por mais se perguntem, os técnicos não sabem responder se houve aumento expressivo da bacia leiteira do Estado ou da fome de gatos e ratos?

Velozes e furiosos



Com 68 acidentes de trânsito nos dez primeiros dias de maio, Imperatriz se credencia como única cidade do Estado em condições de disputar o troféu “Eu bato melhor que você” com São Luís. E em total pé de igualdade no acelerador.   

Segundo arguto observador do cotidiano imperatrizense, não há condutor na “Imperosa” – seja de carro de mão, moto ou jegue – que não tenha feito curso de direção ofensiva no kartódromo local.

Os patos franceses



Um casal de maranhenses radicados no interior escolheu Paris para primeira viagem internacional.

Ao chegarem à cidade, o guia turístico debaixo do braço, aventuraram-se os dois pombinhos em restaurante famoso pelos pratos ornamentados e preços elevadíssimos.

Sem domínio de uma palavra no idioma de Moliére, e sem um tradutor por perto, o homem tranquiliza a mulher:

- Deixa comigo!

O “esperto” decide o pedido pela bela ilustração de uma das iguarias.

Depois de longa espera, finalmente chega à mesa autêntico “manjar dos deuses”.

Com fome exemplar, a mulher avança sobre a comida e, logo em seguida, reclama ao marido em português explicito:

- Vem cá, tu me traz nessa chiqueza toda pra comer pato choco?

A quem não entendeu a decepção feminina, vai a dica.

Os viajantes têm no quintal de casa criação extensa e elogiada dessas aves, sendo a mulher exímia cozinheira.

O marido, é claro, pagou o pato no restante da curta temporada parisiense. 

E continua a pagar, segundo as boas línguas do ramo.